Fotos Planetárias

Quando faço uma foto de um planeta e mostro para pessoas próximas (familiares, amigos, colegas de trabalho), fico impressionado com a falta de conhecimento de algo que na minha época era ensinado no primeiro grau. Tem pessoas que não conseguem identificar pelo nome nem o “planeta dos anéis”, o que dirá de outros como Júpiter, Marte, Vênus, etc… E a sequência dos planetas então… nem pensar.

É uma pena essa falta de interesse, mas eu acho muito bacana que pessoas comuns possam observar detalhes de outros planetas a distâncias tão longas, em suas próprias casas. Anos atrás isso era um feito quase impossível para amadores, mas hoje a tecnologia à custo acessível permite que qualquer entusiasta entre no ramo. Mas mesmo com as facilidades de hoje, uma boa foto planetária dá trabalho e requer muito estudo e dedicação, além de um set de equipamentos adequados. Mesmo limitado pela capacidade do meu telescópio, um Maksutov-Cassegrain de 127mm consigo fazer fotos interessantes.

Apesar de ser um equipamento de pequeno porte, ele possui características que o tornam muito bom para observação planetária e da Lua. Uma delas é a distância focal de 1500mm (f/12), isso proporciona uma boa ampliação sem a necessidade de uma barlow (acessório que aumenta a distância focal). É um excelente equipamento para iniciantes, e recomendo.

Abaixo algumas fotos que fiz com este equipamento.

Jupiter_2014_12_07_001

Na foto acima vemos a sombra de um satélite do planeta Júpiter, o maior do sistema solar.

Jupiter_2015.02.01_001wm_500px

Nessa e na próxima foto, é possível ver a Grande Mancha Vermelha (GMV), uma tempestade secular que ocorre neste planeta e que nos últimos anos vem diminuindo de tamanho.

Jupiter_2015_02_02

Na foto acima, vemos o planeta Júpiter e as 4 luas galileanas. Da esquerda para direita: Europa, Io, Ganymedes e Callisto. Io é a mais próxima do planeta.

Saturno_2015_04_12

Acima, o “desconhecido” “planeta dos anéis”. A divisão entre os anéis, que é possível resolver com este telescópio, chama-se divisão de Cassini. Existem outras divisões nos anéis que só é possível resolver com um equipamento maior.

Outro equipamento importante é a câmera. No início eu utilizava uma webcam comum, entretanto não é a mais adequada para fotos planetárias. Então adquiri uma câmera específica para este fim. Expanse 120 Color. É uma câmera CCD colorida com sensor de 1/3 polegada. Com ela consegui fazer gravações até 190 FPS com uma porta USB 3.0.

Mas qual é a diferença dessa câmera e uma webcam comum?

Em primeiro lugar, ela grava em alta velocidade. Para fotos planetárias, onde a turbulência atmosférica (também chamada seeing) distorce bastante a imagem (e quanto maior a abertura do telescópio maior é a percepção dessa distorçã), quanto mais frames for possível capturar do mesmo objeto, maior será a quantidade de frames com qualidade aceitável para processamento.

Com um programa específico para processamento de fotos planetárias (ex. Registax, AS!2) se descarta os frames de pior qualidade e se empilha os frames de melhor qualidade. O programa automaticamente alinha o objeto em todos os frames escolhidos e cria uma imagem resultante do empilhamento destes frames. A imagem final possui menor ruído e maior detalhe do que a imagem de frames individuais. É possível inclusive aumentar a resolução da imagem através do algorítimo Drizzle, desenvolvido pela Nasa para uso com o telescópio Hubble, que ao invés de apenas interpolar a imagem, efetivamente melhora os detalhes capturados aumentado efetivamente a resolução. Mas para isso, quanto mais frames para empilhar, melhor.

Outra diferença são os parâmetros de captura tais como brilho, gama, contraste, etc, que em webcams são bastante limitados. E mais a possibilidade de gravar o arquivo no formato bruto (RAW) e escolher a profundidade de cores de 8bits ou 16bits. Para quem quer se aventurar em fotos planetárias, é um equipamento indispensável. Além deste uso, essa câmera também pode ser usada para guiagem em montagens equatoriais motorizadas (falo disso em outro post). Este é outro equipamento que recomendo.

Em próximos posts, falarei mais de fotos de outros objetos como cometas e nebulosas. Até lá.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>